Lifting ou Ritidoplastia

Realiza-se todo o reposicionamento do sistema músculo aponeurótico superficial (SMAS) revertendo o processo do envelhecimento e devolvendo as curvas faciais.

lifting

Tecnicamente conhecida como ritidoplastia, esta cirurgia é indicada para pessoas que querem amenizar os sinais de envelhecimento do rosto, percebidos por meio de flacidez, vincos, perda de tônus, papadas, pele frouxa e depósitos de gordura.

Este procedimento pode ser associado ao lifting de sobrancelhas e/ou ao frontal. O primeiro é resultado do reposicionamento dos supercílios e o segundo, também chamado de lifting de testa ou suspensão superciliar, ocorre quando é feita uma elevação de testa que reposiciona as sobrancelhas.

É importante que quem opta por esta alternativa saiba que a cirurgia não muda a aparência das pessoas, tampouco interrompe o envelhecimento natural da pele. Outro ponto a ser cuidadosamente observado é a motivação para se realizar uma cirurgia como esta: o interessado deve esperar um resultado provável e não deve tentar atender ao pedido de outra pessoa ou ainda querer atingir um padrão de aparência considerado belo.

Como qualquer cirurgia, para se candidatar ao lifting o paciente deve estar fisicamente saudável e não fumar. Passar por uma consulta é de fundamental importância para que se verifique a existência de alguma contraindicação.

 

Na consulta com o cirurgião plástico, a pessoa deve ser sincera sobre seu estado de saúde, estilo de vida e o que espera da cirurgia. Desta maneira, o profissional tem condições de indicar a melhor solução para cada caso.

O interessado deve ainda informar ao médico sobre possíveis alergias que tenha a alguma substância, tratamentos médicos que estejam em andamento, medicamentos que esteja tomando – ainda que sejam vitaminas ou remédios naturais – se fuma, se faz uso de álcool e drogas, e se já passou por alguma cirurgia anteriormente.

O cirurgião irá avaliar o estado de saúde do paciente e os fatores de risco, examinar o rosto, fazer registros fotográficos, falar sobre possíveis complicações e anestesia. Também informará ao paciente o que deve ser feito nas horas que antecedem a cirurgia e o tempo de jejum a ser respeitado.

Ao estar completamente ciente de como a cirurgia é feita, como ocorre o pós-operatório e os possíveis riscos, o paciente deverá assinar o termo de consentimento, atestando que compreendeu todo o processo.

É importante tirar todas as dúvidas antes de decidir pelo procedimento.

 

De acordo com o especialista, o paciente deverá fazer exames e passar por rigorosa avaliação médica. Alguns medicamentos deverão ser tomados, como parte do tratamento, e os de uso prévio e contínuo poderão passar por alguma mudança. A pessoa deverá parar de fumar e evitar tomar aspirina, anti-inflamatórios e medicamentos naturais, que podem aumentar o sangramento.

 

Anestesia

Pode ser aplicada a anestesia geral e sedação intravenosa, de acordo com o que o médico julgar ser melhor para cada paciente.

Incisão

O tipo depende do objetivo da cirurgia. O lifting pode ser tradicional ou com incisão limitada ou ainda de pescoço. No método tradicional, a incisão começa na parte superior do couro cabeludo e segue até a parte inferior, passando pelo contorno da orelha. A gordura pode ser esculpida e redistribuída na face, papada e no pescoço. O tecido é reposicionado e os músculos elevados.

Pode ser que uma outra incisão seja necessária: esta poderá ser feita abaixo do queixo para melhorar a aparência do pescoço.

Outros procedimentos podem ser realizados, como a aplicação de implantes faciais e o aumento do tecido mole na tentativa de remodelar a estrutura da face. Depois de todo o procedimento, suturas e adesivos para pele são usados para fechar as aberturas. Após o fechamento da incisão ainda é possível que se utilize a técnica de preenchimento de rugas ou aplicação de peeling, dermoabrasão ou laser, que ajudam a melhorar a tonalidade e textura da pele.

Alternativas

O profissional pode decidir fazer incisões menores na região temporal e dentro das pálpebras inferiores ou lábio superior. Por meio de um lifting de pescoço, pode-se corrigir papadas, peles flácidas e acúmulo de gordura. Neste caso, a incisão começa na frente do lóbulo da orelha, passa por trás e termina na parte inferior do couro cabeludo.

Resultado

As cicatrizes ficam escondidas no couro cabeludo. Com a diminuição do inchaço e dos hematomas, a aparência fica mais jovem. Pode ser que o inchaço completo demore alguns meses para passar até que a pele fique com aspecto natural. É importante que a pessoa se proteja do sol e mantenha um estilo de vida saudável para prolongar o resultado da cirurgia.

 

Uma bandagem é posicionada em volta do rosto de maneira a minimizar o inchaço e os hematomas. Normalmente, coloca-se um dreno por um ou dois dias na tentativa de não acumular líquidos, como sangue e fluidos.

O médico irá orientar o paciente quanto aos curativos, medicamentos para tomar, a fim de ajudar na cicatrização e reduzir o risco de infecção e inflamação.
É importante que o paciente tenha um acompanhante, principalmente na primeira noite depois da cirurgia.

Após a cirurgia, caso o paciente sinta falta de ar, dores no peito ou perceba que os batimentos cardíacos não estão normais, deve procurar atendimento médico imediatamente para passar por tratamento complementar e ficar em observação.

É recomendável que o paciente passe duas semanas em repouso. Dependendo da evolução do caso, se o médico liberar, é possível voltar a cumprir compromissos depois de sete dias, desde que não haja esforço físico ou exposição solar.

 

Como toda cirurgia, há riscos envolvidos no lifting facial. Eles pode ser: cicatrização desfavorável ou má-cicatrização; sangramento; acúmulo de líquidos; derivados da anestesia; necrose; dormência e alteração na sensibilidade da pele; assimetria; despigmentação ou inchaço prolongado; perda de cabelo corrigível nas incisões; danos em nervos, vasos sanguíneos, músculos, pulmões; dores; trombose, complicações cardíacas e pulmonares; surgimento de fios de suturas emergindo da pele, causando irritação e necessidade de remoção; entre outros.

 

O custo da cirurgia depende do profissional. No entanto, há que se pesquisar e optar por realizar a cirurgia com um médico experiente, se possível, indicado por alguém. O procedimento deve ser feito em local adequado, com funcionamento autorizado pela Vigilância Sanitária, equipamentos em pleno funcionamento e com uma equipe preparada para lidar com as mais diversas situações que possam surgir.

Os gastos podem incluir honorários do cirurgião e anestesista, hospital, medicamentos, malhas operatórias e exames.

SOLICITE UMA CONSULTA 9 7529-1375